SUPERVISÃO PSICANALÍTICA | Formação Clínica em Psicanálise

FORMAÇÃO PSICANALÍTICA

 

A formação do psicanalista pressupõe a própria constituição psíquica, a destituição subjetiva e a transmissão da experiência. Assim, a conhecida tríade Análise Pessoal, Supervisão Clínica e Estudo Teórico não se refere a uma recomendação curricular geral. Embora não prescinda da associação a uma Escola de psicanálise. Trata-se antes, do percurso lógico e ético da “pergunta” diante do sofrimento psíquico de cada um. Percurso singular que engaja, autoriza e refunda uma práxis em consonância com a causa freudiana. Ou seja, tempo de escolha, ato e apropriação.

 

 

“O programa que se traça para nós, portanto, é saber como uma linguagem formal determina o sujeito.

Mas o interesse de tal programa não é simples, já que supõe que um sujeito só o cumprirá colocando algo de si”

(LACAN, 1998 [1955], p. 47)

 

Consultório de Sigmund Freud. Museu | Londres

Análise Pessoal

A análise didática, referida como “pura”, seria a análise destinada a formar um psicanalista. E quanto a análise terapêutica ou “aplicada”? Seria para não-analistas? Se uma análise levada a seu termo forma um analista, esta pode ser considerada didática a posteriori. Já o ato de separação, transmissão e construção de um caso clínico da parte do analista destituído, envolve o questionamento da teoria psicanalítica. Tal como a transmissão da parte do analisante no momento do passe. Assim, a análise aplicada não seria a teoria aplicada a priori a um tratamento, cindindo teoria e clínica, mas o esforço de formalização que dele advém, não sem o desejo de analista, desejo não puro.

 

Consultório de Sigmund Freud. Museu | Viena

Foto acervo pessoal

Consultório de Sigmund Freud. Museu | Viena

Foto acervo pessoal

Supervisão Clínica

A supervisão psicanalítica tem como objetivo auxiliar na elaboração e sustentação da clínica do analista praticante. Não se trata, porém, da autorização hierárquica provinda da posição de mestria ou da complementaridade de um saber totalizante. A função do supervisor privilegia a responsabilidade e a apropriação da práxis diante do inesperado na escuta clínica, reverberando, assim, na direção dos tratamentos que o analista conduz.

 

 

* Atividade invididual ou exclusivamente em grupo de no máximo 3 pessoas

 

O estudo da teoria e dos ensinos de Sigmund Freud e Jacques Lacan entrelaça-se aos efeitos da análise pessoal e das supervisões clínicas ao propiciar uma leitura e uma travessia pelos significantes mestres da teoria psicanalítica e orientação lacaniana. Por essa via, não se confunde com a mera acumulação de conhecimento passível de aplicação direta e repetição inócua. Antes, atestam a letra viva apontando para a pesquisa, investigação e invenção.

 

 

* Duração e temas livres, a definir.

* Atividade invididual ou em grupo de no máximo 5 pessoas.

 

CURSOS DE PSICANÁLISE - Teoria e Clínica Psicanalítica

Agendar:                                 |    contato@lucianakie.com.br

Local: Consultório - Al. Jaú, 72. Cj 15. Jardins | São Paulo - SP

Atividades clínicas destinadas a
Estudantes de psicologia e profissionais da área da saúde
Estudo e Pesquisa
 

Políticas de uso

Registro de logotipo

Fotos de acervo pessoal

© 2015 Direitos Reservados

Luciana Kie - Psicanalista SP

Psicanalista Jardins - Paraiso | Clinica Psicanalise lacaniana SP Sao Paulo

Consultório de Psicanálise SP

Alameda Jaú, 72. Cj. 15 - Jardim Paulista

CEP: 01420-000 - São Paulo SP

contato@lucianakie.com.br

Tel.:

Não publicamos fotos de pacientes ou dados pessoais de tratamentos. Nossas publicações visam abordar temas relevantes da área em caráter genérico e informativo,

não possuem qualquer propósito diagnóstico e não substituem a particularidade de cada caso em uma consulta clínica. Demais dúvidas entre em contato.